Como abrir e legalizar um desmanche (Ferro velho de sucatas)?

Anteriormente escrevi nesse site como funciona um desmanche de carros. Agora vou te explicar em detalhes como você faz para abrir e legalizar um desmanche ou seu ferro velho.

De maneira geral, um desmanche e aberto e legalizado em apenas 4 etapas. A definição do melhor local para abrir o desmanche, o registro da empresa, a contratação da equipe de trabalho, e por fim, a legalização do seu desmanche.

Durante esse texto, falarei bastante sobre cada etapa do trabalho. No entanto, antes de abrir um desmanche e gastar uma boa grana com isso. Que tal aprender como fazer repasse de autopeças usadas e faturar muito gastando praticamente nada? Acesse o Método Repasse Autopeças para conhecer.

Passo 01 – O local para abrir o desmanche ou ferro velho

O primeiro passo é encontrar o local ideal para a abertura do desmanche, que pode ser alugado ou propriedade própria.

No caso de propriedade alugada, opte por locais que tenham um barracão e um pátio adequado para guardar as carcaças, quanto maior a área, melhor!

É preciso entender que um desmanche ocupa o espaço disponível rapidamente, assim como o barracão, que servirá para guardar as peças retiradas, área de atendimento aos clientes, higienização, banheiro e outros.

Uma sugestão é planejar prateleiras para guardar os veículos e as caixas com as peças no estoque. Assim você otimiza bastante o espaço e não precisa começar a vender as carcaças como sucata tão rapidamente.

Passo 02 – Registro para abrir a empresa

Após definir o local de abertura da sua empresa, o segundo passo é ir atrás de uma empresa de contabilidade para registrar uma microempresa ME no setor de comércio e desmonte de veículos automotores.

Sem o CNPJ, inscrição estadual, alvará de funcionamento e outros documentos básicos, você não conseguirá ser credenciado pelo Detran e posteriormente não conseguirá comprar sucatas em leilões.

Passo 03 – A equipe de trabalho para iniciar os trabalhos no desmanche

Começar e manter um desmanche é algo que precisa de bastante mão de obra. Por isso, você vai precisar de ajuda logo no começo.

Não existe um número ideal de funcionários para um desmanche, já que o total de serviço disponível varia de acordo com o número de sucatas para desmontar e o fluxo de peças na loja.

Dessa forma, além de você supervisionar a empresa, manter pelo menos 01 funcionário fixo para desmanchar os veículos, uma ou duas pessoas para a higienização, separação e organização das peças e outra para o atendimento aos clientes é o básico.

Se a sua empresa também vai vender pela internet, em sites como Mercado Livre e Shopee, você também deve avaliar em contratar uma pessoa somente para tirar fotos, publicar anúncios e acompanhar as perguntas e vendas. Essa mesma pessoa pode ficar responsável pelas entregas nos Correios.

Como disse antes, não existe um número ideal de funcionários. Talvez você mesmo de conta de desmanchar e fazer as vendas sozinho no começo, tudo vai depender de um bom planejamento.

Passo 04 – A Legalização do desmanche

Por mais que no Brasil ainda existam milhares de desmanches e ferro-velhos ilegais, eu tenho certeza que você pretende começar algo honestamente e não ter problema com a prefeitura, Detran ou outros órgãos. Não é verdade?

O credenciamento e a legalização do desmanche é feita pelos Departamentos de Trânsito estaduais (Detrans).

A liberação do credenciamento é uma das coisas mais importantes para um desmanche. Entretanto, não é uma das coisas mais fáceis para se conseguir junto ao Detran do seu estado.

Abaixo, estou listando a documentação necessária para solicitar o credenciamento no Detran SP:

1) Contrato social e suas alterações posteriores ou última consolidação contratual e suas alterações, devidamente registrados perante o órgão competente;
2) Descritivo pormenorizado da infraestrutura física do imóvel constante do alvará de funcionamento;
3) Contrato de locação ou certidão de propriedade do imóvel ou de outro documento hábil para identificar a legalidade da posse do imóvel constante do alvará de funcionamento;
4) Inscrição estadual no cadastro de contribuinte do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicações – ICMS;
5) Declaração de inexistência de assentamento no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgão e Entidades Estaduais – CADIN ESTADUAL, da pessoa jurídica e de seus sócios proprietários;
6) Comprovante de recolhimento da taxa pertinente para funcionamento, nos termos da legislação que dispõe sobre o tratamento tributário relativo às taxas no âmbito do Estado de São Paulo; (200 UFESP – CÓDIGO 403.0);
7) Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) do ano em curso;
8) Indicação de responsável técnico assinada pelos sócios proprietários ou representantes legais da pessoa jurídica;
9) Manifestação favorável da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB, quanto ao atendimento à legislação ambiental, exigido a partir da primeira renovação do registro;
10) Certificado de capacitação técnica de que trata o item 5 do § 2º do artigo 2º, da Lei 15.276, de 2 de janeiro de 2014, exigido a partir da primeira renovação do registro;
11) Alvará de funcionamento atualizado, exigido a partir da primeira renovação do registro;
12) Documentos pessoais dos sócios e funcionários:
a) RG;
b) CPF;
c) Comprovante de endereço;
d) Antecedentes criminais estadual ;
e) Antecedentes criminais federal;
f) Certidão de distribuição criminais estadual da comarca (fórum) de sua residência;
g) Certidão de distribuição criminais federal;
h) Diploma ou certificado de conclusão de curso previsto no quadro abaixo, exigido a partir da primeira renovação do registro;

Fonte: http://www.detran.sp.gov.br/wps/wcm/connect/portaldetran/detran/sa-veiculos/sa-vejatambem/2d7d73c3-419a-4914-b7a3-ebb535bda1a1

A documentação muda de um estado para o outro, mas no geral você vai precisar do seu: Requerimento de empresário, alvará da polícia civil, alvará de funcionamento, alvará do corpo de bombeiros, certificado de que seu desmanche atende com os requisitos de estrutura e ambientais, dentre outros.

Seja como for, a maior parte da documentação você consegue conversando com a empresa responsável pela contabilidade do seu desmanche.

Validade do credenciamento: A primeira licença tem validade de apenas 12 meses. A partir do segundo ano, dependendo das regras do seu estado, você consegue fazer a renovação por até 60 meses.

Após receber o credenciamento, você poderá fazer a compra de carros em leilões do seu estado e de particulares, desde que a documentação esteja baixada, e comercializar suas peças.

Agora você sabe o passo a passa para abrir e legalizar um desmanche em sua cidade. No entanto, o processo é burocrático e muitas vezes arriscado. Que tal começar fazendo repasse de autopeças para conhecer melhor o mercado e definir se é isso mesmo que você procura?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.