Verbos – Classificações e como não errar – Português

O verbo é a classe gramatical que se flexiona em número, pessoa, modo, voz e tempo.

Um verbo pode indicar uma ação, um fenômeno, um desejo, uma ocorrência, um estado, dentre outros.

É importante deixar claro que o caracteriza um verbo não é o seu significado, mas as suas flexões. Exemplo. A palavra nascimento é um substantivo e não tem variações como o verbo nascer.

Estrutura do verbo

A estrutura de um verbo é formado por quatro partes, o radical, a vogal temática, a desinência modo-temporal e a desinência número-pessoal.

Radical: O radical é a parte do verbo que sempre fica invariável, quando se trata de um verbo regular.

Exemplo: And-ava, and-ou, and-asse.

Tema: Logo após o radical temos a vogal temática, parte do verbo que indica qual a sua conjugação, se primeira, para a vogal “A”, segunda para a “E” e terceira para a “I”.

Exemplo: Anda-r, Corre-r.

Desinência modo-temporal: É a parte do verbo que determina qual o modo e o tempo do verbo.

Exemplos: Quando estávamos em casa. (Indica pretérito imperfeito do indicativo).
Amamos o presente que ele nos deu. (Indica presente do indicativo).

Desinência número-pessoal: Indica se o verbo é singular ou plural e qual a pessoa do discurso, se primeira, segunda ou terceira.

1º pessoa do singular – Eu estou na praça.
2º pessoa do singular – Tu estás na praça.
3º pessoa do singular – Ele está na praça.
1º pessoa do plural – Nós estamos na praça.
2º pessoa do plural – Vós estais na praça.
3º pessoa do plural – Eles estão na praça.

Classificação dos verbos

Verbo - Classificações e como identificar
Verbo – Classificações e como identificar

Os verbos são classificados como regulares, irregulares, defectivos e abundantes.

Regulares: Os verbos regulares são aqueles que não sofrem alteração em seu radical, também são os mais comuns. Por exemplo: Andar, andou, andava, andasse.

Irregulares: Os verbos irregulares são os que sofrem alterações no radical ou em suas desinências. Por exemplo: faço, fiz, farei.

Anômalo: Outra variação conhecida dos verbos irregulares são os anômalos. Nesse tipo de verbo, o radical não é mantida. Por exemplo: Eu vou, ele vai, nós iremos, eu irei.

Defectivos: Os verbos defectivos não possuem conjugação em todas as formas verbais. Por exemplo: Verbo reaver, não temos uma flexão para as pessoas do singular e nem para a terceira pessoa do plural.

Abundantes: Possuem duas ou mais formas para serem conjugados. Por exemplo: incluído, incluso.

Modo indicativo

O modo indicativo é utilizado para falar sobre algo que de fato aconteceu, acontece ou vai acontecer.

Pode se referir a uma ação exclusiva ou algo que acontece habitualmente.Em concursos públicos, os modos verbais são bastantes explorados, pois o presente também pode passar uma ideia de passado ou futuro.

Exemplo: O jogo termina às 18 horas.

Tempos verbais do indicativo

Os tempos do indicativo são divididos em presente, presente durativo, presente habitual, presente histórico ou narrativo, futuro do presente, pretérito imperfeito, pretérito perfeito, pretérito mais-que-perfeito.

Presente

É usado para exprimir algo no momento em que está acontecendo, ou seja, quando se fala.

Exemplos:

– Eu tomo refrigerando.

– Eu preciso de sua ajuda agora.

Presente durativo

É usado para exprimir algo que acontece de forma duradoura ou permanente.

Exemplo:

– O vento sopra as folhas das árvores.

Presente habitual

Refere-se a algo que acontece que certa frequência. Pode ser utilizado mesmo que a ação não esteja acontecendo quando se é mencionada.

Exemplo:

– Às sextas-feiras saímos para comer fora.

Presente histórico ou narrativo

Usado para trazer fatos que aconteceram no passado para mais próximo do leitor ou interlocutor.

Exemplos:

– A cinco décadas, o homem pisa na lua.

– A dois séculos nasce o menino Jesus.

Futuro do presente

Usado para mencionar algo que acontecerá em um breve período de tempo.

Exemplos:

– A novela começa às 21 horas.

– A sessão de cinema termina à meia-noite.

Pretérito imperfeito

Traz um fato no passado que ainda não foi concluído.

Exemplo:

– Pensava em se tornar uma pessoa melhor.

Pretérito perfeito

Usado para comentar sobre algo que foi concluído no passado.

Exemplo:

– Ontem, ele não assistiu à novela.

Pretérito mais-que-perfeito

Usado para uma ação que aconteceu antes de outra já concluída no passado.

Dica: Geralmente se usa essa forma verbal para falar sobre algo de forma vaga.

Exemplo:

– Ele havia avisado sobre o acidente na rodovia.

Modo subjuntivo 

O modo subjuntivo é utilizado em frases que apresentam um fato duvidoso, incerto ou impreciso.

O subjuntivo é dividido em simples e composto. No simples, pode ser presente, pretérito perfeito e futuro. Enquanto no composto, pretérito perfeito, pretérito mais-que-perfeito e futuro.

Tempos de subjuntivo simples

Presente do subjuntivo 

É usado em orações com fatos que acontecem no presente ou no futuro.

Exemplo: É fato que ele perca.

Pretérito perfeito do subjuntivo

É usado para representar fatos que aconteceram no passado, de forma vaga ou imprecisa.

Exemplos: Se ganhasse na loteria, viajaria todo o mundo. (Presente)

Mesmo se tivesse muito dinheiro, não estaria contente. (Passado)

Futuro do subjuntivo 

E utilizado para indicar que algo no futuro poderá acontecer, mas que não é concreto.

Exemplos: Viajaremos à tarde se não estiver cansado.

Recolherei a roupa caso me dê vontade.

Conjugação dos verbos no subjuntivo composto

Os verbos no subjuntivo composto são formados pelo verbo ter + verbo principal no particípio.

Pretérito perfeito composto do subjuntivo 

Esse modo é utilizado somente quando um fato acabou de acontecer.

Forma: Usa-se o verbo auxiliar ter no presente do subjuntivo + verbo principal no particípio.

Exemplos: Acredito que ele tenha acordado.

Penso que eles tenham estudado.

Pretérito mais-que-perfeito composto do subjuntivo 

Usado para demonstrar que um fato aconteceu anteriormente a outro mencionado.

Forma: Usa-se o verbo auxiliar ter no pretérito imperfeito do subjuntivo + verbo principal no particípio.

Exemplos: Se eu tivesse estudado, teria passado na prova.

Se ela tivesse encontrado o brinco, não teríamos nos conhecidos.

Futuro composto do subjuntivo

Usa-se o futuro composto do subjuntivo para dizer que uma coisa acontecerá no futuro antes que outra termine.

Forma: Usa-se o verbo auxiliar ter no futuro simples + verbo principal no particípio.

Exemplo: Somente serviremos a mesa após os convidados terem chegado.

Formas nominais dos verbos

As formas nominais dos verbos desempenham funções de verbo e de nome, por isso se chama nominal. São divididas em gerúndio, particípio e infinitivo.

Gerúndio

O gerúndio é usado para mostrar que uma ação ainda está acontecendo. Sua terminação é -ando, -endo e -indo.

Exemplos de gerúndio em frases

  • O rapaz está andando muito depressa.
  • Eu estou lendo um livro de suspense.
  • Ela está assistindo à Netflix.

Exemplos de verbos no gerúndio:

  • Nadar – Nadando.
  • Voar – Voando.
  • Correr – Correndo.
  • Pescar – Pescando.
  • Surfar – Surfando.
  • Permitir – Permitindo.

Particípio

O verbo no particípio somente é usado em tempos verbais compostos. Exprimem uma noção de conclusão da ação.

Um verbo no particípio usa apenas duas terminações -ado e ido.

Exemplos de particípio em frases:

  • O rapaz era muito amado.
  • As crianças tinham jogado bola e ainda tinham energia.
  • Ao chegar na escola já tinham resolvido a questão.
  • Ontem ele foi elegido como prefeito.

Alguns verbos no particípio aceitam mais de uma forma, como por exemplo: Eleger, que pode ser elegido ou eleito. O verbo exprimir, como: exprimido ou expresso, dentre outros.

Exemplos de verbos no particípio.

  • Amar – Amado.
  • Correr – Corrido.
  • Viver – Vivido.
  • Morrer – Morrido.

Infinitivo

Os verbos no infinitivo podem ser pessoais ou impessoais. Quando pessoais, tê flexão de gênero e número, quando impessoais, são invariáveis.

Infinitivo pessoal

É usado quando o sujeito da oração é definido ou se tem a intenção de defini-lo. A conjugação utilizada é a mesma do futuro do subjuntivo.

Exemplo verbo falar: Falar, falares, falar, falarmos, falardes e falarem.

Exemplos de frases com verbos no infinitivo pessoal

  • Quando falarmos com você, ouça!
  • O professor chegou quando estávamos cochichando.

Infinitivo impessoal

O infinitivo impessoal é utilizado em frases que não tem sujeito definido, em locuções verbais e verbos preposicionados.

A terminação dos verbos no infinitivo impessoal são: ar, er, ir.

Exemplos em frases.

  • Querer não é poder.
  • Viajar é bom demais.
  • Eles gostariam de rir das suas piadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.